Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Março, 2010

Maximum the Hormone

Sim Pedro, é uma cópia ao teu post. Conheci esta banda graças à série animada Death Note, uma vez que a música da intro é deles. Ouço esta banda, apenas por uma razão, é fun. Não é daquelas bandas que nos deixa a pensar na vida e que nos deixa paralisado com a beleza, como por exemplo Porcupine Tree, ou Pink Floyd. É, para mim, uma banda parecida com os Disturbed. Essencialmente, é uma banda para ouvir quando se faz alguma coisa que nos levanta o nível de adrenalina. Ouço-a, ou ouvia-a, quando andava de bmx.

Esta é a música da intro da anime e foi a primeira música que ouvi deles:

E esta é provavelmente a minha favorita:

P.S: Os videoclips são LIGEIRAMENTE azeiteiros, mas não há nada a fazer.

Read Full Post »

(Chaos Theory, Fractal Art by Vicky Brago-Mitchell)

Today, i was going to meet with some long date friends. I, was expecting to eat with them, at lunch hour. They didn’t came. Does it matter why? No. What would happen to my life if they would come? What things in this world have been changed because of this? The opportunities I have lost? Because of a misinformation between us? I wonder. I stop. I cant predict, or possible imagine this. É tão grande e destrutivo, para mim. Quando paro e fico a pensar nisto. Que ganhei eu com a sua ausência? Tudo o que foi alterado? Tudo o que foi criado? Fico a pensar, nas infinitas combinações, possibilidades, oportunidades, desilusões. Apenas por um mal entendido. E depois penso que, provavelmente, não importa o que mudou. Que não acredito, nem quero acreditar, no destino. Indepentemente daquilo que aconteça, tudo já está programado de uma certa maneira. O padrão já existe, nós é que não o vemos. Na realidade, não estou pensativo e nem tão pouco quero saber do que podia, ou não acontecer. Estou apenas fodido porque não apareceram.

Read Full Post »

Poderia viver sem este blog? Podia, mas não era a mesma coisa. Não!

Read Full Post »

Ironia…

Evitar pôr açúcar no chá preto, bebendo assim algo intragável, e comer um twix a seguir…

Read Full Post »

Hmmmm

Lembram-se? Bem, acho que encontrei a receita, finalmente e por acaso. Veremos se consigo encontrar o “pak choi” e se sai como deve ser.

P.S: Se alguém achar que não é o mesmo prato, é favor dizer.

Read Full Post »

And time flies…

É engraçado como muitas vezes andamos à procura de algo diferente, para fazer com a nossa namorada. É curioso, também, que enquanto pensamos nesse “algo”, o tempo voa e lá acabamos por ver o dia a afundar na noite e a ficarmos pelo quotidiano. Mais um dia secante para a “patroa” e um dia frustrante, para aqueles (poucos) que se preocupam em inovar. Cinema, discoteca, jantar, tomar café, enfim, tudo opções válidas, mas que até eu ( e digo eu, porque sou bastante  “cansado” quando o assunto é sair de casa ) acho que já são demasiado batidas. Algo que tenho vindo a fazer e que me tem dado bastante prazer, é o jantar de domingo à noite. Porquê? Também por ajuda de uma colecção de livros de receitas rápidas, mas também por existir essa vontade de inovar e por ser algo divertido de se fazer em conjunto. O dinheiro, também é um factor importante na equação. E a verdade é esta: por muito “cansados” que sejamos, o dinheiro impede-nos de fazermos/experimentar imensas coisas. Nem que não seja passear, até mesmo para ir a um sítio porreiro, gastámos dinheiro, nem que não seja no dinheiro do combustível. Depois um geladinho, um café, mais qualquer coisa e pronto, lá se vai o “budget” da semana. Bem, esta solução, em cima do joelho, do jantar em conjunto não tem desculpas, por algumas razões:

  • Teremos sempre que comer, por isso, nem vale a pena fugir.
  • A desculpa de ser caro fica de lado, uma vez que o jantar será feito em casa. A não ser que se lembrem de comprar umas lagostas, ou um leitão.
  • Mesmo que não se saiba cozinhar, fica-se a aprender, coisas simples, como fatiar uns alhos, cozer uma massa, aprender a fazer um estrujido. Mesmo que não tenhamos jeito, de certeza que fazemos o esforço pela cara metade.

Bem, depois disto tudo, deixo-vos a receita deste domingo. Foi retirada deste site. É algo bastante simples de confeccionar, por isso, para quem está a ler este post e os dotes culinários sejam nulos, não fiquem com medo. Esta receita, foi apresentada num programa do famoso cozinheiro Jamie Oliver, em que o objectivo, é ensinar a um grupo de pessoas, que nunca cozinhou, várias receitas e este grupo, por sua vez, passar para outras pessoas e assim consecutivamente. Este é uma tentativa de pôr uma cidade em Inglaterra, mais concretamente  Rotherham, a cozinhar. É curioso ver como as pessoas inglesas não sabem mesmo cozinhar, mesmo donas de casa de cinquentas e muitos.

Deixo só aqui algumas notas, para quem tentar a receita:

  • A receita, não pede para temperar com alho e sal, no entanto eu fiz isso. Atenção, uma vez que a mesma leva presunto, aconselho a não pôr sal.
  • Ter cuidado, relativamente ao momento em que se espalma, a mistura de bifes/queijo/presunto, com a frigideira, em espalmar bem, para o conjunto não se desintegrar no momento em que coloca na frigideira.

Mais um pormenor, a receita está em inglês, qualquer coisa deixar um comentário que eu tratarei da tradução, de resto divirtam-se.

Read Full Post »

Did you Know?

Alguns filmes que me pareceram interessantes:

Read Full Post »

Older Posts »