Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Março, 2009

Qual é objectivo? Nenhum? Será que devemos arranjar sempre um objectivo, para isto ou aquilo? Não podemos simplesmente viver? Sem ter que haver algo um “higher purpose? Gostava de acreditar que sim. Que consigo gostar, sem racionalizar. Mas não dá. Aparece sempre alguma coisa e pequenas máximas, bonitas de dizer e agradáveis de ouvir, esfumam-se, quando a pressão aparece. E põe-nos de rastos, por que muito que façamos, nunca é suficiente, para as coisas andarem. É preciso mais e mais e perdemos a paciência “and we break up inside”. De rastos, desespero, depressão. Sem saber porquê, tudo aquilo que fazemos, “for a higher purpose”, deixa de fazer sentido. Por que no final, não há nada. Abdicação, mas para quê? Que altera isso? Alguma coisa? Pensamos que sim, a curto prazo, mas “in the long run”, vemos que não. Se tem que acontecer, irá acontecer e nada vai mudar isso. O problema não está em nós, está em todo o lado. É impossível viver sem considerar sempre “terceiros”, existirão sempre, a maneira como reagimos e nos modificiamos em prol do “higher purpose”, é que faz de nós quem somos. Palavras bonitas, gestos, carinho, é tudo perfeito e bonito. Mas só na dor, no desespero, na pressão, na dificuldade, é que se vê quem é o quê. Não tenho vontade de fazer nada, sinto-me mal. Inveja de tudo, por querer tudo, por (te) querer só para mim. Mal, por algo que não existe.

A vida é demasiado curta, para preocupações. Aconteceu, passado, nada vai mudar o que se passou. Abraça o presente e sê uma pessoa melhor. Não há muito mais a ser feito, evoluir, ser feliz, fazer os outros felizes. Se tem que haver um “Higher purpose” que seja esse.

Farto de conversas baratas, farto de relações que não existem, farto de perder tempo, farto de ter agido assim, durante muito tempo. Farto, simplesmente…

Anúncios

Read Full Post »

So disturbed….

(Malevolent criminal, I)
(When the vision paints my mind)
(Cross the invisible line)
(And you’ll be paid in kind)
[REPEAT]

Criminal
The suffering
It makes me think like a
Criminal
The suffering
When we’re alone
Criminal
The suffering
It makes me think like a
Criminal
The suffering
When we’re alone

Typical enough for me
That I burn inside in agony
What power will enable me
TO bury my vision

The hunger coming over me
As I learn to hide the agony
To make a final remedy

To close the door once and for all
In a world that I don’t want to know
With a message that I never want to send
To be free from all of this
I want you to quicken my end
Don’t tell me I can not go
With a wound that refuses to mend
Deliver me from all of this
I want you to quicken my end

(it seems the whole experience is)
Terrible and crippling
The pain is much more than
Physical beyond belief
When we’re alone

Typical enough for me
And I burn inside in agony
What power will enable me
To make this decision

Despair has fallen over me
No way to hide the agony
Embracing my calamity
To save myself once and for all

Now you want to know
You want a name
You want to call me motherfucker
Now you want to know
You want a name
You want to say it doesn’t matter

Now you want to know
You want a name
You want to call me motherfucker
Now you want to know
You want a name
You want to say it doesn’t matter now

Now you wanna know
Now you wanna name
Now you wanna place
Now you wanna time
Now you want it all

Now you wanna know
Now you wanna name
Now you wanna place
Now you wanna time
Now you want it all
Now

In a world that I don’t want to know
With a message that I never want to send
To be free from all of this
I want you to quicken my end

Don’t tell me I can not go
With a wound that refuses to mend
Deliver me from all of this
I want you to quicken my end

Don’t say that it isn’t so
I’m on a path that you’ll never comprehend
Set me free from all of this
I need you to quicken my end

Read Full Post »

NiN

You let me violate you, you let me desecrate you
You let me penetrate you, you let me complicate you
Help me I broke apart my insides, help me I’ve got no soul to sell
Help me the only thing that works for me, help me get away from myself
I want to fuck you like an animal
I want to feel you from the inside
I want to fuck you like an animal
My whole existence is flawed
You get me closer to god
You can have my isolation, you can have the hate that it brings
You can have my absence of faith, you can have my everything
Help me tear down my reason, help me its’ your sex I can smell
Help me you make me perfect, help me become somebody else
I want to fuck you like an animal
I want to feel you from the inside
I want to fuck you like an animal
My whole existence is flawed
You get me closer to god

Through every forest, above the trees
Within my stomach, scraped off my knees
I drink the honey inside your hive
You are the reason I stay alive

Read Full Post »

Small talking…

“As conversas de ocasião ou conversas de conveniência ou, como eu gosto de lhes chamar, conversas de encher chouriço, são como um cheeseburguer. São reles, são baratos, são rápidos de comer e de adquirir e não têm qualquer valor. Para mim uma conversa, tem que ser como um bacalhau com natas. Tem que exigir trabalho, esforço por parte das pessoas, é suculento e é de chorar por mais e é disso que eu gosto, numa conversa.”

Read Full Post »